domingo, 16 de junho, 2024

Airdrop

A+ A-

Airdrop de cripto ganha novamente atenção do mercado

Atividade de ser pioneiro em blockchains e ganhar tokens torna-se mais atrativa graças às redes Layer 2

quinta, 06 de abril, 2023 - 16:26

Redação MyCryptoChannel

Os airdrops cripto voltam ao holofote. Sendo um fenômeno exclusivo do universo das criptomoedas, os airdrops envolvem a distribuição de tokens cripto para os primeiros usuários de protocolos e plataformas.


Esses airdrops podem render tokens altamente valiosos, valendo milhares de dólares - se não mais. A categoria presenciou um recente renascimento graças às redes Layer 2, como a Optimism e a Arbitrum.


Com tanto potencial de dinheiro em jogo, alguns usuários on-chain tentam obter o máximo possível do fornecimento de airdrops para si mesmos. Chamados de "agricultores de airdrops", esses tentam especular quais projetos podem realizar airdrops e se tornar elegíveis para o maior número possível de tokens. Podendo garantir recompensas surpreendentemente, especialmente para aqueles que entendem do mercado.


"Fizemos quase US $1 milhão", disse um "agricultores de airdrops" russo conhecido como LEOresearch. "Blur nos deu algo em torno de US $300.000, Arbitrum nos deu cerca de US $180.000, Aptos nos deu US $125.000 e Optimism, US $120.000".
 

Blockchains

Rede Blockchain Brasil, do BNDES, chegará em agosto

Piloto já contará com alguns casos de uso práticos, como diploma digital e cadeia de custódia de provas

quarta, 15 de maio, 2024 - 18:52

Redação MyCryptoChannel

Continue Lendo...

A Rede Blockchain Brasil, iniciativa do BNDES para impulsionar a tecnologia blockchain no país, está pronta para avançar nos próximos meses. O lançamento da versão piloto está previsto para agosto, em um evento na sede do Tribunal de Contas da União (TCU) em Brasília.  

Segundo cobertura do Portal do Bitcoin, o especialista em blockchain do banco de desenvolvimento, Gladstone Arantes, confirmou a informação durante o evento Ethereum Rio na terça-feira-feira (14). A plataforma já contará com alguns casos de uso práticos, como diploma digital e cadeia de custódia de provas. 

“Espero que até agosto, além da infraestrutura, a gente já esteja rodando com algumas aplicações. Mas é bom observar: quem vai construir as aplicações não é o BNDES. A Rede é uma infraestrutura que estará ali, para que em cima dela os interessados façam as aplicações”, conta Arantes.  

Entre os casos de uso em fase inicial, Arantes destaca um projeto de cadeia de custódia de provas, que poderá, por exemplo, pegar óleo encontrado na praia e mostrar que teve alguma adulteração e coisas dessa ordem”. 

A Rede Blockchain Brasil conta com a participação de diversos membros validadores, incluindo o BNDES, TCU, Dataprev, Prodemge (Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais), Secretaria de Estado de Transparência e Controle (STC) do Maranhão, município de Araguaína (TO), PUC do Rio de Janeiro, Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPQD) e Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP). 

Blockchains

Mastercard escolhe 5 startups para programa de blockchain e ativos digitais

Programa existe desde 2014 e já apoiou mais de 400 startups

quarta, 15 de maio, 2024 - 15:34

Redação MyCryptoChannel

Continue Lendo...

A Mastercard anunciou a seleção de cinco startups para participar do programa Start Path de blockchain e ativos digitais. O programa visa conectar a empresa com especialistas do setor e startups fintech para explorar casos de uso de blockchain e ativos digitais para solucionar problemas do mundo real.  

Em um comunicado de imprensa divulgado nestaa quarta-feira (14), a Mastercard destacou sua experiência na construção de uma rede global de pagamentos baseada em cartões. Essa experiência posiciona para conectar startups com casos de uso específicos de dinheiro regulamentado, depósitos bancários, stablecoins e CBDCs.  

A empresa disse que “desde que o programa foi fundado em 2014, a Mastercard apoiou mais de 400 startups de 54 países”.  

As startups escolhidas para o programa são: Kulipa, uma empresa francesa que facilita a emissão de cartões de pagamento criptografados para carteiras digitais; Peaq, startup de Cingapura que fornece infraestrutura digital sem permissão e sem fronteiras para aplicações do mundo real e a startup britânica Parfin que desenvolve produtos de software de nível empresarial para permitir que instituições financeiras adotem trilhos blockchain.  

Além disso, participam do programa a Triangle, startup americana que prioriza a sustentabilidade por meio de uma plataforma de dados que combina dados climáticos com finanças; e a startup belga Venyl que simplifica a integração de blockchain para desenvolvedores e empresas para apoiar o crescimento da indústria e a transformação digital.