quinta, 22 de fevereiro, 2024

Blockchains

A+ A-

Transparência de blockchains diminui uso de criptomoedas em lavagem de dinheiro

Especialistas da Binance desmistificam, com dados globais, mitos sobre indústria digital

quarta, 12 de abril, 2023 - 13:14

Redação MyCryptoChannel

A Binance, maior provedora global de infraestrutura para o ecossistema blockchain e de criptomoedas, está lançando uma série de vídeos que identifica e usa dados para dissipar alguns dos mitos mais comuns relacionados aos ativos digitais. A iniciativa é mais um passo no compromisso da exchange com a adoção em massa da tecnologia e para mostrar sua responsabilidade com a segurança do usuário.

No primeiro vídeo da série, a equipe de investigações e compliance da Binance desmistifica um dos maiores equívocos sobre a indústria de criptomoedas e blockchain. Segundo especialistas, a ideia de que o ecossistema cripto é um foco de atividades ilícitas é extremamente equivocada.

"Um dos maiores mitos é que as criptomoedas são anônimas e permitem atividades ilícitas e, na verdade, é exatamente o oposto. O fato das transações serem registradas de forma pública e permanente facilita o trabalho dos investigadores", comenta Matthew Price, diretor global de inteligência e investigações da Binance no primeiro vídeo da série.

O relatório da empresa de inteligência de mercado Chainalysis, que presta serviços para autoridades de países como os Estados Unidos, mostra que o volume financeiro de atividades ilícitas envolvendo criptomoedas chegou a US$ 20,6 bilhões no ano passado, o que representa apenas 0,24% do total transacionado pelo setor.

Ao contrário disso, o que vem sendo amplamente divulgado, e de maneira equivocada, é a percepção de que as transações realizadas no blockchain são anônimas e não permitem rastrear o fluxo do dinheiro. Assim como, o mito de que a indústria de criptomoedas é muito utilizada por indivíduos mal-intencionados, que buscam aproveitar a anonimidade da tecnologia blockchain para cometer crimes

Segundo a UNODC (Agência das Nações Unidas para Drogas e Crimes), estima-se que os ilícitos financeiros registrados em todo o mundo possa variar entre US$ 800 bilhões e US$ 2 trilhões ao ano (cerca de 2 a 5% do PIB global). Uma grande proporção das operações de lavagem de dinheiro é realizada por meio de canais financeiros tradicionais. Dados mostram que a fatia de cripto representa apenas 0,03%.

Blockchains

Ondo Finance expande seus horizontes para a blockchain Sui

Integração trará primeiro token nativo denominado em dólar da Sui Network

quarta, 07 de fevereiro, 2024 - 14:06

Redação MyCryptoChannel

Continue Lendo...

Ondo Finance, emissora da stablecoin USDY, anunciou nesta quarta-feira (7) ,sua expansão para a blockchain Sui, de camada 1. Essa integração marca a introdução do primeiro token nativo em dólar na Sui Network, o Ondo USD Yield (USDY), um token com rendimento e lastreado em títulos do Tesouro dos EUA. 

  

"A expansão trará o primeiro token nativo denominado em dólar da Sui Network (incluindo stablecoins e substitutos de stablecoin com juros) na forma de Ondo USD Yield ou 'USDY', um token garantido pelo tesouro dos EUA e com juros emitido pela Ondo," disse a empresa em comunicado. 

  

A Ondo Finance está na vanguarda do desenvolvimento de stablecoins com rendimento. Justin Schmidt, COO da empresa, acredita que esse mercado pode superar o "mercado total endereçável" para stablecoins tradicionais. 

  

“As pessoas que interagem com nossa plataforma desejam transações rápidas e eficientes, o que deve ser essencial para qualquer projeto de blockchain”, disse o fundador e CEO da Ondo Finance, Nathan Allman, em um comunicado.  

  

" O crescimento e o desempenho da rede da Sui oferecem uma confirmação clara de que sua rede é perfeita para o ecossistema da Ondo", completou. 

  

Blockchain

Solana (SOL) reinicia rede após interrupção de cinco horas

Falha impediu realização de transações na rede

terça, 06 de fevereiro, 2024 - 15:16

Redação MyCryptoChannel

Continue Lendo...

A rede Solana, uma plataforma blockchain de Camada 1, foi reiniciada com sucesso após uma interrupção de cinco horas que afetou sua mainnet beta na terça-feira (6). A falha, que começou por volta das 9h53 UTC (6h53 no horário de Brasília), impediu a realização de transações na rede. 

De acordo com um relatório de incidente publicado pela Solana, a produção de blocos foi retomada às 14h57 UTC (11h57 no horário de Brasília) após a implementação de uma atualização para a versão v1.17.20 e uma reinicialização do cluster pelos operadores validadores. 

“Os engenheiros continuarão monitorando o desempenho à medida que as operações de rede são restauradas ”, acrescentou a rede. “A interrupção começou aproximadamente às 09h53 UTC, com duração de 5 horas. Os principais contribuidores estão trabalhando em um relatório de causa raiz, que será disponibilizado assim que concluído”. 

A causa da interrupção ainda está sendo investigada, mas Matthew Sigel, chefe de pesquisa de ativos digitais da VanEck, acredita que o problema possa estar relacionado ao mecanismo "Berkley Packet Filter" (BPF) utilizado pela Solana para implantar atualizações e executar programas. 

“Isso parece estar relacionado a uma SMID (Proposta de Melhoria de Solana) anterior que alterou alguns dos recursos, incluindo a adição de um bloqueador para impedir que metadados fossem usados no BPF porque não eram mais necessários”, argumentou Sigel.