domingo, 16 de junho, 2024

Criptomoedas

A+ A-

3 fatores para entender alta do mercado das criptomoedas

Estudo da a16z, empresa de capital de risco do Vale do Silício, avalia saúde da indústria digital de um ponto de vista tecnológico, e não somente financeiro

sábado, 15 de abril, 2023 - 16:00

Redação MyCryptoChannel

O blockchain, a tecnologia que sustenta as criptomoedas e milhares de outras funcionalidades, é algo recente. No entanto, apesar do pouco tempo de existência, é notório o rápido progresso da indústria de criptomoedas, apesar das flutuações na atividade e dos períodos de estagnação.

É necessário reconhecer que avanços significativos de infraestrutura, como a Shapella - atualização bem-sucedida da rede Ethereum realizada nesta semana - muitas vezes passam despercebidos devido à atenção dada a falhas e a contratempos.

Um estudo da a16z, empresa de capital de risco do Vale do Silício, apresenta o State of Crypto Index, uma ferramenta interativa que avalia a saúde da indústria cripto de um ponto de vista tecnológico, e não financeiro. O índice mede o crescimento mensal médio ponderado de 14 métricas do setor, como o número de contratos inteligentes verificados e carteiras de transações.

Confira 3 fatores que favorecerem para alta do mercado de criptomoedas:

Aumento de engajamento dos usuários

Os endereços ativos atingiram um recorde de 15 milhões no mês passado, dobrando nos últimos dois anos, já que os jogos on-chain e outros serviços oferecem novas formas de engajamento.

Crescimento renovado na atividade de DeFi e NFT

As vendas de NFT e os volumes de negociação de câmbio descentralizado estão aumentando, indicando o ressurgimento do interesse nessas áreas.

EUA perdendo o domínio da web3

Entre 2018 e 2022, a parcela de desenvolvedores de criptomoedas nos EUA caiu 26%, indicando a necessidade de regulamentação para incentivar a inovação no país.

Criptomoedas

Terraform Labs concorda em pagar US$ 4,47 bilhões à SEC

Do Kwon, ex-CEO da Terraform Labs, assume a responsabilidade por uma parcela significativa das reparações

quarta, 12 de junho, 2024 - 18:10

Redação MyCryptoChannel

Continue Lendo...

Em um acordo com a Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC), a Terraform Labs, empresa responsável pelo desenvolvimento do ecossistema Terra (LUNA), concordou em pagar aproximadamente US$ 4,47 bilhões em reparações.  

O acordo visa reparar os danos causados aos investidores pelo colapso do TerraUSD (UST) e da Luna (LUNA). As reparações totais incluem multas de restituição de aproximadamente US$ 3,6 bilhões, uma multa civil de US$ 420 milhões e juros de pré-julgamento de quase US$ 467 milhões. 

O ex-CEO da Terraform Labs, Do Kwon, assume a maior parte da responsabilidade financeira, sendo responsável por US$ 110 milhões em multas de restituição, US$ 80 milhões em multas civis e aproximadamente US$ 14,3 milhões em multas de juros de pré-julgamento.  

Segundo o pedido de acordo, "o pagamento das reparações monetárias contra Kwon será considerado satisfeito, desde que todas as transferências de Kwon para a SEC e para o espólio de falência da Terraform no Caso de Falência totalizem não menos que US$ 204.320.196”.  

Além disso, todos os criptoativos pertencentes à Luna Foundation Guard e as participações em tokens Pyth Network (PYTH) de Kwon serão transferidos para cobrir o custo das multas de restituição e juros de pré-julgamento. 

A SEC processou a Terraform Labs em 2023. A acusação dizia que a empresa e seu fundador, Do Kwon, venderam valores mobiliários não registrados e enganaram os investidores quanto à estabilidade do UST e da LUNA. 

  

Criptomoedas

Itaú expande acesso a criptomoedas para todos os clientes do Íon

Banco amplia negociação de Bitcoin (BTC) e Ethereum (ETH), antes disponível somente para usuários selecionados

segunda, 10 de junho, 2024 - 19:20

Redação MyCryptoChannel

Continue Lendo...

O banco Itaú anunciou nesta segunda-feira (10) que os clientes da plataforma Íon agora podem comprar Bitcoin (BTC) e outras criptomoedas diretamente pela interface do banco. Inicialmente, apenas Bitcoin e Ethereum (ETH) estarão disponíveis para negociação. 

Em dezembro de 2023, a compra de criptomoedas pelo Itaú foi liberada apenas para um seleto grupo de usuários.  “Estamos muito contentes com a jornada de criptoativos que estamos construindo junto aos nossos clientes”, disse o head da Itaú Digital Assets, Guto Antunes.  

“A abertura de negociação para todos os usuários íon reflete não só a evolução do nosso produto, como também do mercado como um todo. Continuaremos ao lado dos nossos clientes oferecendo o atendimento e segurança Itaú, em uma jornada intuitiva e fácil dentro do universo cripto”, completou Antunes.  

O anúncio desta segunda-feira se alinha a um recente relatório da Finery Markets, em parceria com a Coincub.com, que identificou o Itaú como um dos principais bancos do mundo mais receptivos às criptomoedas. 

Renato Eid Tucci, superintendente de estratégias indexadas e investimento responsável da Itaú Asset, comentou sobre o potencial do Bitcoin como um ativo de investimento.  

"Quando refletimos sobre nossos investimentos mirando o médio/longo prazo, o papel do Bitcoin vem sendo reforçado pela diversificação, escassez, maior usabilidade, ecossistema mais robusto, queda da volatilidade e sua descorrelação em comparação com os ativos de risco tradicionais”.