domingo, 16 de junho, 2024

Criptomoedas

A+ A-

Dubai flexibiliza regras para fundos de criptomoedas e tokens não reconhecidos

DFSA anunciou emendas ao regime de tokens de criptomoedas em resposta ao Documento de Consulta 153

terça, 04 de junho, 2024 - 11:56

Redação MyCryptoChannel

Para aprimorar na estrutura regulatória no mercado de criptomoedas de Dubai, a Autoridade de Serviços Financeiros (DFSA) anunciou na segunda-feira (3) flexibilizações em seu regime de tokens de criptomoedas.  

A DFSA, órgão regulador independente dos Emirados Árabes Unidos (EAU) que supervisiona entidades no Centro Financeiro Internacional de Dubai (DIFC), informou ontem que alterou o regime com o objetivo de acompanhar as mudanças do Documento de Consulta 153, publicado em janeiro de 2024. 

As novas emendas tratam sobre fundos que investem em tokens de criptomoedas e o processo de reconhecimento para tokens de criptomoedas. A DFSA agora permite que fundos externos e estrangeiros ofereçam unidades de fundos que investem em tokens de criptomoedas reconhecidos pela autoridade.  

Fundos domésticos qualificados de investidores agora podem investir em tokens não reconhecidos, desde que a exposição não exceda 10% do valor bruto dos ativos (GAV) do fundo.  

Além disso, a DFSA reduziu a taxa de aplicação para reconhecimento de tokens de US$ 10 mil para US$ 5 mil. O órgão também introduziu critérios adicionais de reconhecimento para stablecoins, tokens de criptomoedas atrelados a moedas fiduciárias. 

"Enfatizamos que nossa proposta não significa que estamos relaxando nossa abordagem, mas sim que é destinada a fornecer à DFSA a flexibilidade para reconhecer Tokens de Criptomoedas Fiduciárias emitidos em outras jurisdições com regulamentação comparável," destacou a DFSA. 

Para o diretor executivo da DFSA, Ian Johnston, essas mudanças têm o objetivo de "fomentar a inovação de maneira responsável e transparente”. “Na DFSA, adotamos uma abordagem equilibrada no desenvolvimento deste regime e continuamos comprometidos em evoluí-lo de acordo com as melhores práticas e padrões globais”, completou Johnston.  

Criptomoedas

Terraform Labs concorda em pagar US$ 4,47 bilhões à SEC

Do Kwon, ex-CEO da Terraform Labs, assume a responsabilidade por uma parcela significativa das reparações

quarta, 12 de junho, 2024 - 18:10

Redação MyCryptoChannel

Continue Lendo...

Em um acordo com a Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC), a Terraform Labs, empresa responsável pelo desenvolvimento do ecossistema Terra (LUNA), concordou em pagar aproximadamente US$ 4,47 bilhões em reparações.  

O acordo visa reparar os danos causados aos investidores pelo colapso do TerraUSD (UST) e da Luna (LUNA). As reparações totais incluem multas de restituição de aproximadamente US$ 3,6 bilhões, uma multa civil de US$ 420 milhões e juros de pré-julgamento de quase US$ 467 milhões. 

O ex-CEO da Terraform Labs, Do Kwon, assume a maior parte da responsabilidade financeira, sendo responsável por US$ 110 milhões em multas de restituição, US$ 80 milhões em multas civis e aproximadamente US$ 14,3 milhões em multas de juros de pré-julgamento.  

Segundo o pedido de acordo, "o pagamento das reparações monetárias contra Kwon será considerado satisfeito, desde que todas as transferências de Kwon para a SEC e para o espólio de falência da Terraform no Caso de Falência totalizem não menos que US$ 204.320.196”.  

Além disso, todos os criptoativos pertencentes à Luna Foundation Guard e as participações em tokens Pyth Network (PYTH) de Kwon serão transferidos para cobrir o custo das multas de restituição e juros de pré-julgamento. 

A SEC processou a Terraform Labs em 2023. A acusação dizia que a empresa e seu fundador, Do Kwon, venderam valores mobiliários não registrados e enganaram os investidores quanto à estabilidade do UST e da LUNA. 

  

Criptomoedas

Itaú expande acesso a criptomoedas para todos os clientes do Íon

Banco amplia negociação de Bitcoin (BTC) e Ethereum (ETH), antes disponível somente para usuários selecionados

segunda, 10 de junho, 2024 - 19:20

Redação MyCryptoChannel

Continue Lendo...

O banco Itaú anunciou nesta segunda-feira (10) que os clientes da plataforma Íon agora podem comprar Bitcoin (BTC) e outras criptomoedas diretamente pela interface do banco. Inicialmente, apenas Bitcoin e Ethereum (ETH) estarão disponíveis para negociação. 

Em dezembro de 2023, a compra de criptomoedas pelo Itaú foi liberada apenas para um seleto grupo de usuários.  “Estamos muito contentes com a jornada de criptoativos que estamos construindo junto aos nossos clientes”, disse o head da Itaú Digital Assets, Guto Antunes.  

“A abertura de negociação para todos os usuários íon reflete não só a evolução do nosso produto, como também do mercado como um todo. Continuaremos ao lado dos nossos clientes oferecendo o atendimento e segurança Itaú, em uma jornada intuitiva e fácil dentro do universo cripto”, completou Antunes.  

O anúncio desta segunda-feira se alinha a um recente relatório da Finery Markets, em parceria com a Coincub.com, que identificou o Itaú como um dos principais bancos do mundo mais receptivos às criptomoedas. 

Renato Eid Tucci, superintendente de estratégias indexadas e investimento responsável da Itaú Asset, comentou sobre o potencial do Bitcoin como um ativo de investimento.  

"Quando refletimos sobre nossos investimentos mirando o médio/longo prazo, o papel do Bitcoin vem sendo reforçado pela diversificação, escassez, maior usabilidade, ecossistema mais robusto, queda da volatilidade e sua descorrelação em comparação com os ativos de risco tradicionais”.