quinta, 22 de fevereiro, 2024

Criptomoedas

A+ A-

Por que diversidade é importante no mercado de criptomoedas?

Consultor analisa fatores que devem influenciar Bitcoin e outros ativos a serem considerados para investimento

segunda, 10 de abril, 2023 - 13:19

Redação MyCryptoChannel

Uma das máximas do mercado financeiro é a diversificação. Sabe-se que qualquer carteira de investimentos não pode ser direcionada a um único produto, e isso também vale para as criptomoedas. 

Para o consultor Maurício Zanetti, CEO da KRYP.TOOLS, plataforma de SaaS (Software as a Service) e única para quem já investe em cripto ativos e gerencia ou negocia carteiras em mais de uma conta, ou usa diversas exchanges, qualquer carteira de investimentos deve conter ativos variados. 

A diversificação de uma carteira de criptomoedas depende muito da estratégia de cada investidor, do entendimento que o investidor tem de cada moeda, das análises técnicas e fundamentais. Ou seja, há uma série de critérios e 'apostas' a serem considerados, mas é muito importante analisar os aspectos técnicos de cada cripto antes de decidir sobre investimentos”, sugere.

Nos dois primeiros meses do ano, por exemplo, o Bitcoin surpreendeu os investidores com bons ganhos, mas, segundo o especialista, é preciso prestar atenção no mercado de forma geral e avaliar alternativas também.

Com o amadurecimento do mercado de investimentos em criptomoedas, agora ele está diretamente ligado às taxas de juros que, no momento, estão altas. Acreditamos que as condições econômicas mundiais atuais, principalmente a dos Estados Unidos, contribuam para manter o valor do Bitcoin estável em 2023. Somente em 2024 acredito em uma subida de valor”, avalia.

Além do Bitcoin, Zanetti sugere que o investidor esteja atento a outras quatro moedas: Ethereum, Cardano, Matic e Solana. “Estas cinco moedas representam projetos importantes no mercado de cripto, como contratos inteligentes, projetos de web3.0 e outros”, diz.

E como começar a montar uma carteira diversificada em cripto ativos? Segundo o CEO da KRYP.TOOLS, o primeiro passo é estudar muito o que são as criptomoedas, como funcionam e, principalmente, investir um valor que possa arriscar perder.

No início, como a pessoa ainda está em fase de aprendizado sobre o mercado, os riscos são altos e muitos acabam desistindo, pois acreditam que ficarão 'ricos' no curto prazo, mas não é assim que funciona”, conclui.

SEC

Bancos dos EUA pressionam SEC para redefinir criptoativos e participar do mercado

Grupo de instituições financeiras encaminham carta para Gary Gensler pedindo a mudança do Boletim de Conformidade da Equipe 121

sexta, 16 de fevereiro, 2024 - 14:00

Redação MyCryptoChannel

Continue Lendo...

Grandes bancos e instituições financeiras dos Estados Unidos estão pressionando a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC) a ajustar sua definição de criptoativos para permitir que eles assumam um papel mais significativo no mercado de ativos digitais. 

Em uma carta enviada ao presidente da SEC, Gary Gensler na quarta-feira (14) uma coalizão de grupos do setor bancário pede que a Comissão reconsidere a definição de criptoativos no Boletim de Conformidade da Equipe 121 (SAB 121) para excluir ativos tradicionais registrados na blockchain. 

A reivindicação visa permitir que os bancos atuem como custodiantes dos fundos negociados em bolsa (ETFs) de Bitcoin à vista recentemente aprovados pela SEC. A orientação atual exige que os bancos mantenham criptoativos em seus balanços patrimoniais, o que torna a custódia em larga escala dispendiosa e complexa. 

A carta destaca os "vários avanços relevantes" desde a emissão do SAB 121 em março de 2022, incluindo a aprovação dos ETFs de Bitcoin à vista. Segundo o diretor de investimentos da Bitwise, Matt Hougan, a carta sugere essa mudança demonstra um "tom em torno da regulamentação das criptomoedas em Washington" que se torna mais receptivo. 

A iniciativa dos bancos é vista como um sinal claro de seu interesse em participar da "onda de finanças digitais". O analista de ETFs da Bloomberg, Eric Balchunas, resume que “os bancos dos EUA, deixados de fora dos principais papéis relativos aos ETFs de bitcoin, estão pressionando a SEC para ajustar a orientação sobre a custódia de ativos digitais". 

 

Criptomoedas

Brasileiros mantém cautela com renda fixa, mas se arriscam em outros investimentos no início de 2024

Levantamento da Yubb aponta os dez ativos mais procurados em janeiro pelos investidores do Brasil

quinta, 15 de fevereiro, 2024 - 15:05

Redação MyCryptoChannel

Continue Lendo...

Apesar da Selic em 11,25% ao ano, a renda fixa ainda reina entre os investimentos preferidos dos brasileiros, de acordo com levantamento da plataforma Yubb. CDBs e títulos do Tesouro Direto lideram o ranking, mas os fundos multimercados e as criptomoedas despontam como opções atrativas para o Brasil.  

Em janeiro, a renda fixa se consolidou como a preferência nacional, com destaque para Certificados de Depósitos Bancários (CDBs) e títulos do Tesouro Direto. No entanto, a pesquisa revela uma crescente disposição para investimentos de perfil mais arrojado. Os fundos multimercados, que combinam ativos de risco e conservadores, inclusive criptomoedas, subiram da quinta para a terceira colocação entre dezembro e janeiro.  

Essa ascensão pode ser explicada, em parte, pela crescente participação de criptomoedas nos portfólios desses fundos. Dados do provedor de software de impostos CoinLedge indicam que os investidores de criptomoedas obtiveram lucros médios de US$ 887 em 2023. 

Completando o Top 10 dos ativos mais procurados em janeiro, encontramos Letras de Câmbio (LCs) e Recibos de Depósito Bancário (RDBs) na sétima posição, após caírem da quarta colocação no final de 2023. Fundos Imobiliários (FIIs) e debêntures mantiveram suas posições na nona e décima posição, respectivamente, entre os ativos mais desejados pelos investidores no início de 2024.