sábado, 02 de março, 2024

DiFi

A+ A-

EUA alerta sobre criminosos que se aproveitam do sistema DiFi para transações ilegais

Segundo nota divulgada pelo Departamento do Tesouro dos Estados Unidos, ambiente decentralizado vem atraindo cibercriminosos norte-coreanos, disseminadores de ransomware, ladrões e golpistas

quinta, 06 de abril, 2023 - 14:49

Ettory Jacob

O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos alertou nessa quinta-feira, 5, que cibercriminosos norte-coreanos, disseminadores de ransomware, ladrões e golpistas estão utilizando serviços financeiros descentralizados (DeFi) para transferir e lavar dinheiro. 


Em sua mais recente avaliação de risco de finanças sobre plataformas DeFi, o Tesouro americano constatou que criminosos estão explorando vulnerabilidades dos sistemas contra lavagem de dinheiro e combate ao financiamento de terrorismo no país e no exterior.
O levantamento concluiu que serviços DeFi que não cumprem regras contra lavagem de dinheiro e financiamento de terrorismo representam o risco ao mercado financeiro.


“Nossa avaliação conclui que atores ilícitos, incluindo criminosos, golpistas e cibercriminosos norte-coreanos, estão usando serviços DeFi no processo de lavagem de fundos ilegais”, disse o subsecretário de Terrorismo e Inteligência Financeira do Tesouro dos EUA, Brian Nelson, em comunicado.


O subsecretário também acrescentou que o setor privado deve usar os resultados da avaliação para informar suas estratégias de mitigação de risco. Tomando medidas efetivas contra os criminosos que se utilizam serviços financeiros descentralizados.
 

Cibercrimes

Primeira semana de 2024 é marcada por ataques a protocolos DeFi

Três ataques bem-sucedidos a protocolos DeFi em cinco dias totalizam percas de quase US$ 90 milhões

sexta, 05 de janeiro, 2024 - 10:50

Redação MyCryptoChannel

Continue Lendo...

A primeira semana de 2024 foi marcada por uma série de ataques ao setor de finanças descentralizadas (DeFi), que deixaram usuários e especialistas preocupados com a segurança do espaço. 

 

 

O primeiro ataque ocorreu durante o ano novo, quando hackers invadiram a carteira de múltiplas assinaturas do protocolo Orbit Chain, uma ponte cruzada que permite a transferência de ativos entre diferentes blockchains. Os invasores levaram US$ 80 milhões em criptomoedas, incluindo Ethereum (ETH), USDC (USDC) e Tether USDt (USDT). 

 

 

Dois dias depois (1º) o mercado monetário cross-chain Radiant Capital foi alvo de um ataque relâmpago de empréstimo. Um hacker manipulou o índice de liquidez de um mercado nativo de USDC recém-criado no Arbitrum para desviar rapidamente criptoativos do protocolo. 

 

 

Isso levou a pausas nas atividades de empréstimo e empréstimo por meio da Radiant. O ataque fez com que a Radiant perdesse cerca de US$ 4,5 milhões. A equipe disse que está tomando medidas desde que a invasão aconteceu.

 

 

Na quinta-feira (4), a plataforma de gerenciamento de liquidez Gamma Strategies sofreu um ataque que resultou na perda de cerca de US$ 3,4 milhões. O invasor explorou os mecanismos de contabilidade da Gamma para cunhar tokens de provedores de liquidez em excesso.  

 

 

Isso permitiu que o invasor retirasse ilegalmente mais de 1.300 ETH. Em resposta ao ataque, a Gamma fechou os depósitos em cofres públicos. 

DeFi

Identidades descentralizadas com provas de conhecimento zero podem proteger refugiados, diz ONU

Tecnologia pode facilitar a migração e acesso a documentação

sexta, 22 de dezembro, 2023 - 11:35

Redação MyCryptoChannel

Continue Lendo...

A identidade descentralizada com provas de conhecimento zero (ZK-proofs) pode ser uma solução para garantir a segurança dos refugiados, afirma o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) da Organização das Nações Unidas (ONU). 

 

 

A tesoureira da Divisão de Gestão Financeira e Administrativa do ACNUR, Carmen Hett, disse que a tecnologia ZK-proofs pode ajudar os refugiados a provar sua identidade de forma segura e confidencial, mesmo quando atravessam fronteiras.

 

 

"Imagine-se como um refugiado atravessando fronteiras; nem todas as leis de todos os países são iguais, portanto, a chave é [ter] um sistema que possa garantir que a identidade seja realmente segura e protegida para as pessoas em situação de risco", explicou Hett.
 

 

 

Em discurso em um painel de discussão na semana passada, Hett pode garantir a segurança dos refugiados. "No contexto dos refugiados, a identidade, a proteção de dados, a garantia de que não há fronteiras, a criação de confiança, a garantia de que podemos implementar provas de conhecimento zero, há muitas técnicas para tornar tudo isso ainda mais seguro."

 

 

As ZK-proofs são um protocolo que permite que uma parte prove a veracidade de uma declaração para outra parte sem a necessidade de compartilhar nenhum conteúdo da declaração. No contexto dos refugiados, isso significa que um refugiado poderia provar sua identidade sem ter que compartilhar sua documentação original com o verificador.