domingo, 14 de abril, 2024

Ethereum

A+ A-

Ethereum (ETH): atualização Dencun em 2024 acelera caminho para liquidação escalonável

Goldman Sachs revela impacto da próxima atualização na estrutura do blockchain

sexta, 27 de outubro, 2023 - 09:11

Redação MyCryptoChannel

Ethereum (ETH) avança no desenvolvimento da Dencun, próxima atualização de blockchain, programada para o primeiro trimestre de 2024, de acordo com uma nota divulgada pelo Goldman Sachs na última quinta-feira (27).

 

Essa atualização representa o próximo marco na transformação do blockchain em uma camada de liquidação escalonável, marcando um momento crucial em sua jornada de desenvolvimento.

 

Para entender o contexto, é importante definir os termos-chave. Uma rede de camada 1, também conhecida como layer 1, representa a camada base ou infraestrutura fundamental de um blockchain. Por sua vez, a camada 2, ou layer 2, refere-se a uma série de sistemas fora da cadeia, conhecidos como blockchains secundários, construídos sobre a camada 1.

 

Entre as tecnologias de camada 2, destacam-se os rollups, que agilizam o processamento de transações em um blockchain secundário (layer 2) e depois transferem os dados de volta para o blockchain principal, a um custo inferior.

 

A atualização Dencun também trará consigo o proto-danksharding, que, segundo o relatório do Goldman Sachs, "servirá para definir a estrutura para futuras atualizações de escalabilidade, incluindo danksharding, como parte do roteiro 'Surge' do blockchain".

 

Danksharding é uma inovação destinada a tornar o Ethereum ainda mais escalável. Ela adota o conceito de dividir a rede em fragmentos, mas, em vez de aumentar o número de transações, foca em ampliar o espaço disponível para grupos de dados.

ETFs

Probabilidades para aprovação de ETF de Ethereum (ETH) em maio cai para 28%, segundo Polymarket

Mercado de previsão estimava 74% de chance em janeiro

sexta, 15 de março, 2024 - 16:40

Redação MyCryptoChannel

Continue Lendo...

A euforia inicial em torno da aprovação de ETFs de Bitcoin à vista pela SEC deu lugar à cautela em relação aos ETFs de Ethereum (ETH) à vista. Os mercados de previsão, como o Polymarket, estimam que a probabilidade de aprovação até o final de maio caiu para 28%, em comparação com 74% em 10 de janeiro. 

Desde a aprovação dos ETFs de Bitcoin, a atenção se voltou para o Ether, a segunda maior criptomoeda por capitalização de mercado. Gestores de ativos como BlackRock e Fidelity apresentaram pedidos de ETFs de Ether à vista, mas a SEC adiou a decisão sobre os pedidos no início deste mês. 

Analistas do Ryze Labs acreditam que a SEC pode ser mais hesitante em aprovar ETFs de outras criptomoedas além do Bitcoin. "O mandato estreito do presidente da SEC, Gary Gensler, para ETFs de Bitcoin à vista deixa à agência mais espaço para rejeitar futuras solicitações de ETF não-Bitcoin", disseram em um e-mail ao The Block. 

As chances de aprovação do ETF de Ether à vista sofreram mais um obstáculo esta semana. Dois senadores dos EUA enviaram uma carta ao presidente da SEC pedindo que ele não aprove novos produtos criptos após a aprovação dos ETFs de Bitcoin. 

Senadores dos EUA exigem restrições para ETFs de Criptomoedas

Eric Balchunas, analista sênior de ETF da Bloomberg, também reduziu suas expectativas de aprovação de um ETF de Ether à vista para 30%, abaixo dos 70% em janeiro. "Temos 30% de probabilidade", destacou Balchunas ao The Block. 

ETFs

BlackRock lança primeiro ETF BDR de Bitcoin (BTC) no Brasil em parceria com a B3

IBIT39 estará disponível para investidores qualificados a partir de 1º de março

quinta, 29 de fevereiro, 2024 - 18:00

Redação MyCryptoChannel

Continue Lendo...

A BlackRock, maior gestora de ativos do mundo, anuncia nesta quinta-feira (29) entrada no mercado brasileiro de criptomoedas com o lançamento do IBIT39, o primeiro ETF BDR de Bitcoin (BTC) da empresa no país. A iniciativa é fruto de uma parceria com a B3, bolsa de valores brasileira.  

Karina Saade, presidente da BlackRock Brasil, destaca o potencial da tecnologia blockchain e o crescente interesse dos investidores em criptomoedas. O IBIT39 já estará disponível na sexta-feira (01) para investidores qualificados. A negociação para investidores de varejo está aguardando aprovação.  

 A BlackRock reconhece o crescimento da regulamentação e da infraestrutura do mercado de criptomoedas como fatores que motivaram a entrada da empresa nesse segmento. O IBIT39 busca acompanhar o desempenho do preço do Bitcoin e possui taxa de administração de 0,25% com isenção de um ano, reduzindo-a para 0,12% sobre os primeiros US$ 5 bilhões em ativos sob gestão. 

"O lançamento do BDR de ETF iShares Bitcoin Trust, IBIT39, avança na inovação dos ETFs e permite o acesso ao Bitcoin para os investidores através de um valor mobiliário - o BDR de ETF - que poderá ser incorporado de forma consistente, conveniente e econômica, ao lado de outras classes de ativos como ações e títulos, em seus portfólios", destacou Saade. 

O superintendente de Produtos de Juros e Moedas da B3, Felipe Gonçalves, afirma que o IBIT39 oferece aos investidores a oportunidade de incluir o Bitcoin em suas carteiras, respondendo à crescente demanda por opções no mercado de capitais brasileiro. “Estamos comprometidos em oferecer produtos que atendam a essa demanda, mantendo a segurança de operar na B3”, completou.  

A BlackRock está estudando o lançamento de um BDR de ETF de Ethereum (ETH) no Brasil, caso consiga a aprovação da SEC para um ETF de Ethereum nos EUA.