domingo, 16 de junho, 2024

Inteligência Artificial

A+ A-

Elon Musk ameaça banir Apple em suas empresas por integração com ChatGPT

Apple anunciou recurso de integração com inteligência artificial durante a Worldwide Developers Conference

terça, 11 de junho, 2024 - 18:52

Redação MyCryptoChannel

O Elon Musk ameaçou na segunda-feira (11) banir dispositivos da Apple em suas empresas caso a empresa integre o ChatGPT da OpenAI em seus sistemas operacionais. A decisão, segundo Musk, seria uma "violação de segurança inaceitável".  

Em um post no X, no antigo Twiiter, Musk afirmou que a integração da OpenAI nos sistemas da Apple representaria um risco à segurança dos dados dos usuários. "Se a Apple integrar a OpenAI no nível do sistema operacional, então os dispositivos Apple serão proibidos nas minhas empresas", declarou o CEO da Tesla e SpaceX. 

As críticas de Musk se estendem à própria tecnologia da OpenAI. O bilionário questionou a capacidade da Apple de "proteger sua privacidade" ao utilizar uma ferramenta de terceiros que, segundo ele, a empresa não compreende totalmente. "Eles estão vendendo você por nada", disparou. 

A polêmica surge após ao anúncio da Apple durante a Worldwide Developers Conference (WWDC) 2024, na qual a empresa revelou a "Apple Intelligence". Trata-se de um conjunto de novos recursos de inteligência artificial (IA) generativa que serão lançados para o iOS 18, iPadOS 18 e macOS Sequoia no final de 2024. 

Um dos recursos mais notáveis é a integração com o ChatGPT da OpenAI. O assistente de voz da Apple, Siri, poderá transmitir perguntas dos usuários para o ChatGPT quando necessário. A Apple garante que os usuários serão consultados antes do envio de qualquer dado e que a Siri apresentará a resposta diretamente. 

 

Inteligência Artificial

Marco Legal da Inteligência Artificial pode ser votado no Senado na próxima semana

Relator do projeto afirmou planos durante audiência pública

terça, 04 de junho, 2024 - 14:42

Redação MyCryptoChannel

Continue Lendo...

O Projeto de Lei (PL) 2.338/2023, que visa estabelecer o Marco Legal da Inteligência Artificial (IA) no Brasil, pode ser votado na próxima semana no Senado Federal. A informação foi divulgada pelo senador Eduardo Gomes (PL-TO), relator do projeto, durante audiência pública realizada no Conselho de Comunicação Social (CCS) em Brasília. 

O texto, que tem como autor o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), deve ser apresentado nesta quarta-feira (5) e votado no dia 12. Segundo Gomes, o objetivo é que o relatório seja discutido em uma sessão de debates temático no plenário, com senadores e especialistas, no próximo dia 10. Essa etapa permitirá que sugestões sejam incorporadas ao texto final antes da votação. 

O senador defende que a discussão sobre o Marco Legal da IA é urgente, especialmente em vista dos desafios globais que a tecnologia apresenta. Ele ressalta a necessidade de se inspirar em outros países que já estão regulando a IA.  

"Por incrível que pareça, todos geram uma expectativa muito grande de que Inteligência Artificial seja um mundo completamente diferente em que as pessoas procurem uma penalização nova para crimes antigos”, disse Gomes.  

Ele ainda afirmou que “isso, com certeza, não vai ocorrer. Eu acho que essa é a expectativa que será frustrada. Porque as coisas do mundo que são crime continuarão sendo crimes e terão como solução a Constituição Federal do jeito que ela se encontra".  

Além disso, durante a audiência, os participantes pontuaram preocupações relacionadas a diversos setores da comunicação.  

Segundo publicação do Senado, Andreia Saad, representante da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão, defendeu que a regulação esteja acompanhada de uma governança interna feita pelos próprios veículos, e que haja supervisão humana quando a IA for utilizada, além de total transparência com público sobre o uso. 

Meme coins

Memecoin Turbo (TURBO) criada pelo ChatGPT alcança valorização de US$ 638 milhões

TURBO avançou 562% na semana e 35,48% nas últimas 24 horas

terça, 28 de maio, 2024 - 17:20

Redação MyCryptoChannel

Continue Lendo...

A memecoin Turbo (TURBO), criada usando o popular chatbot ChatGPT da OpenAI com um orçamento inicial de apenas US$ 69, alcançou uma avaliação de US$ 638 milhões em pouco mais de um ano após seu lançamento. 

Segundo cotação do CoinMarketCap desta terça-feira (28), a TURBO avançou 35,48% nas últimas 24 horas sendo negociada a US$ 0,009309 com progresso de 562,72% no acumulado da semana.  

Em abril de 2023, o artista digital Rhett Mankind deu vida à Turbo, utilizando prompts criativos para guiar o chatbot de inteligência artificial (IA) na criação do que ele descreveu como "a próxima grande" memecoin. 

Para ele, o memecoin se tornou popular pela sua falta de envolvimento na gestão. “Todo mundo está apresentando ideias e como fazer algo e estão apenas implementando isso de uma maneira muito melhor do que eu mesmo poderia fazer”, disse Mankind.  

O token está registrando ganhos nos últimos três meses, acumulando um aumento de 2.262% na capitalização de mercado nos últimos 90 dias com uma avalição de mais de US$ 600 milhões.  

TURBO contrasta com o Bitcoin (BTC). A maior criptomoeda do mundo registra uma queda de 1,69% na semana e é negociada a US$ 68 mil após recorde de negociação na semana anterior.