domingo, 14 de abril, 2024

Inteligência Artificial

A+ A-

"IA" da Amazon em mercados era trabalho humano na Índia

Empresa migra para carrinhos inteligentes Dash Carts

quarta, 03 de abril, 2024 - 17:05

Redação MyCryptoChannel

A Amazon está descontinuando sua tecnologia "Just Walk Out" em seus supermercados Fresh nos Estados Unidos. A promessa de compras sem filas e caixas, impulsionada por inteligência artificial (IA), se mostrou mais complexa e custosa do que o previsto, além de necessitar de uma mão de obra humana escondida. 

A tecnologia, lançada em 2016, permitia que os clientes saíssem da loja sem precisar passar por caixas. Câmeras e sensores monitoravam os produtos que os clientes pegavam das prateleiras, debitando automaticamente o valor da compra em seus cartões. 

“A tecnologia Just Walk Out detecta quando a mão do comprador interage com um produto na prateleira. Quando isso acontece, algoritmos de aprendizado de máquina garantem que o item correto seja adicionado ao carrinho virtual – tudo sem nenhum conhecimento específico sobre a pessoa”, explicou o vice-presidente de tecnologia Just Walk Out, Jon Jenkins.  

No entanto, a promessa de automação total não se concretizou. Um relatório do Gizmodo revelou que mais de 1.000 pessoas na Índia assistiam e rotulavam vídeos das compras para garantir a precisão dos checkouts. Ou seja, os caixas foram simplesmente transferidos para outro local, observando os clientes à distância. 

Relatos revelam que a tecnologia era problemática e custosa. Cerca de 70% das compras precisavam de intervenção humana, segundo um relatório do The Information. A Amazon agora está migrando para os "Dash Carts", carrinhos de compras inteligentes com scanners e telas. Os clientes escanearão os produtos que desejam comprar e pagarão diretamente no carrinho, sem necessidade de revisão manual. 

 

 

Inteligência Artificial

Inteligência Artificial conquista 74% das empresas no Brasil, diz Microsoft

Estudo revela uso para assistentes virtuais de atendimento e a economia de tempo de trabalho

segunda, 01 de abril, 2024 - 17:16

Redação MyCryptoChannel

Continue Lendo...

A inteligência artificial (IA) está conquistando as empresas brasileiras. Uma nova pesquisa da Microsoft e da Edeman Comunicação revela que 74% das micro, pequenas e médias empresas (MPMEs) já utilizam a tecnologia. No entanto, 20% delas ainda enfrentam obstáculos para implementá-la com sucesso. 

O estudo mostra um salto significativo no interesse pela IA. Quase metade (46%) das empresas investiram na tecnologia e planejam continuar injetando recursos. A IA já representa uma fatia considerável do orçamento de tecnologia das MPMEs, com uma média de 29%. Esse número sobe para 33% nas empresas de médio porte, demonstrando uma aposta maior em soluções avançadas. 

“Quando uma tecnologia evolui, também surgem novas formas de ameaças cibernéticas e atuar na mitigação desses riscos precisa fazer parte das estratégias e investimentos das empresas”, afirmou a vice-presidente da Microsoft no Brasil, Andrea Cerqueira. 

A pesquisa destaca uma ascensão meteórica da IA. Os investimentos nessa área dobraram de 27% para 47% entre 2022 e 2023, tornando a IA a segunda tecnologia mais utilizada pelas empresas, perdendo apenas para o armazenamento em nuvem (56%). 

Os assistentes virtuais de atendimento e a economia de tempo de trabalho são as principais aplicações da IA nas empresas brasileiras. O uso para tradução de documentos, por exemplo, é mais comum em empresas de maior porte. 

 

 

Inteligência Artificial

Casa Branca define regras para uso seguro de Inteligência Artificial

Ações incluem indicação de líderes de IA, transparência no uso da tecnologia e implementação de medidas de proteção

quinta, 28 de março, 2024 - 18:55

Redação MyCryptoChannel

Continue Lendo...

A inteligência artificial (IA) é uma ferramenta com enorme potencial, mas também carrega riscos que precisam ser estudados. Pensando nisso, a Casa Branca lançou sua primeira política abrangente para gerenciar os perigos da IA no governo federal. 

O memorando divulgado nesta quinta-feira (28) exige que as agências federais tomem medidas concretas para aumentar a transparência e a responsabilidade no uso da IA. Em 60 dias, todas as agências deverão: nomear um oficial-chefe de IA, divulgar o uso de IA e integrar medidas de proteção. 

A vice-presidente Kamala Harris reforçou a importância da responsabilidade coletiva na adoção da IA: "Acredito que todos os líderes de governos, sociedade civil e setor privado têm um dever moral, ético e social de garantir que a inteligência artificial seja adotada e avançada de forma a proteger o público de possíveis danos, ao mesmo tempo em que garante que todos possam desfrutar de seus benefícios plenos”. 

A regulamentação é uma iniciativa do Escritório de Administração e Orçamento (OMB). O memorando prevê exceções para casos específicos, como o uso de IA pelo Departamento de Defesa. Nesses casos, a divulgação pública poderia comprometer a segurança nacional.Salvaguardas para a inteligência artificial: protegendo os direitos da população 

As agências governamentais têm até 1º de dezembro para estabelecer salvaguardas específicas para aplicações de inteligência artificial (IA) que possam afetar os direitos dos cidadãos. As agências que não conseguirem implementar as salvaguardas dentro do prazo estabelecido terão que interromper o uso do sistema de IA.